As várias representações de Che Guevara e da Revolução Cubana na mídia: o trabalho com fichas

No 2º semestre de 2009, durante as aulas de Projetos Especiais do curso de História da Universidade de Mogi das Cruzes, trabalhamos com a produção de fichas e análise de documentos midiáticos. O tema  girou em torno das várias representações de Che Guevara e da Revolução Cubana na mídia (na época haviam muitas reportagens, inclusive várias capas de revistas sobre o assunto por conta das comemorações dos 50 anos da Revolução)

Nossa sugestão ao professor é que escolha um tema e divida a classe em grupos pedindo para  pesquisarem em diferentes fontes e depois discuta a visão de cada uma em sala de aula. Também é importante que cada grupo pesquise e apresente a história da revista ou jornal escolhido pois assim vão percebendo  a falta de parcialidade  da Mídia  descobrindo as ideologias por trás desses jornais e revistas.

 

1) Exemplo da ficha:

DOCUMENTO: 

-Tipo de documento (jornal, revista, imagem etc.)

REFERÊNCIA: 

– A referência do documento.

TEMA: 

-Qual é o tema?

REPRESENTAÇÃO: 

– Qual a Representação do real contida neste documento?

– Selecionar frases de efeito;

– Pode analisar imagem;

 

DESTINATÁRIO: 

– Para quem escreve? A quem essa frase é destinada?

ANÁLISE: 

– Análise feita pelos alunos com base nas informações obtidas com as pesquisas.

 

 

2) Exemplo de ficha preenchida:

DOCUMENTO 

Jornal

REFERÊNCIA 

O Estado de São Paulo, 07/10/2007.

Por Stephanie Holmes.

TEMA 

Che Guevara

REPRESENTAÇÃO 

– “Foto icônica de Che é usada para vender sorvete e cigarro” [Manchete]

– […] transformada em arte pop […].

– Che Guevara virou uma marca. E o logotipo da marca é essa imagem […].

– […] se transformou numa corporação, um império a essa altura.

– […] usado como decoração de produtos.

 

DESTINATÁRIO 

– Público de direita.

ANÁLISE 

– A frase “Foto icônica de Che é usada para vender sorvete e cigarro” é significativa, pois se trata da chamada da matéria. A foto de Che é “usada” por quem? Pelos capitalistas. Para quê? Para “vender”. Vender o quê? Ao usar “sorvete” e “cigarro”, remete ao “vender qualquer coisa”, desde algo fútil, inofensivo (sorvete), quanto algo agressivo como o cigarro, que apesar de banalizado hoje pode ser vinculado a movimentos de rebeldia.

– A imagem de Che é representada por termos típicos do sistema capitalista (arte-pop, marca, logotipo, corporação, império) no qual estamos inseridos e justamente contra o qual Che resistiu e lutou em sua trajetória como revolucionário socialista.

– Em “usado como decoração de produtos”, é realçada a idéia de que a imagem de Che transformou-se em algo meramente decorativo, ou seja, quem a usa está supostamente desprovido de ideologia socialista e ao usar a palavra produto, insinua que a imagem de Che foi absorvida pelo sistema capitalista.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: